segunda-feira, 13 de maio de 2013

Namoro a distância!




Olá amores,

Bom, quem me conhece sabe que mantenho um relacionamento à distância. Fácil não é, mas também não é impossível. O fundamental é, tem que haver muita confiança de ambas as partes, respeito, cumplicidade e principalmente amor, sem ele nada funciona. Então vou dar uma geralzinha nesse assunto já que tem muita gente por aí na mesma situação. Aprendi a administrar esse romance virtuale com o tempo, sempre entramos em acordo em relação a tudo, principalmente nos horários que conversamos. Aquele tempo eu dedico a ele porque é o tempo que ele tem disponível, até porque ele trabalha viajando em um navio de cruzeiro (passa seis meses no mar) e os horários não são tão flexíveis. Por tanto, o mundo é bloqueado naquele momento e minha atenção é voltada para o nosso “encontro”. Compartilhamos tudo o que acontece e interagimos quando possível, também as famílias e nos divertimos, o skype que o diga, facilita demais a vida de quem está distante, também não ficamos na neura de: vai sair? Com quem? Que horas volta? Quer dizer eu não tenho, ele só um pouquinho hehehe. As conversas são longas e intensas, nos falamos pelo menos três vezes ao dia, assunto é o que não falta, às vezes não temos assunto nenhum e ficamos olhando um pra cara do outro. Entre risadas, divergências e aquela saudade mista, que hora dói, outra revigora a gente vai se unindo cada vez mais. E o importante é que estamos ali desfrutando da companhia um do outro e fazendo disso um prazer diário.


Logo estaremos juntos para férias (próximo mês, já está chegando).  Isso só reforça o nosso objetivo de querer estar juntos. O relacionamento a distância tem suas compensações, mas é preciso gostar, é preciso se doar e querer esperar. Porque quando o amor é verdadeiro, quando se tem convicção do que realmente quer a distância não é empecilho, ela se torna aliada. Por tanto, quem tem amor distante faça cada minuto valer a pena, porque não é a distância que nos impede de sermos felizes, somos nós que desistimos por não ser tão prático.