sexta-feira, 3 de maio de 2013

O tão sonhado encontro!



E lá fui eu! Aeroporto Internacional do Recife rumo a Portugal, mais de sete horas de voo. Quem falou que consegui dormir? Fila interminável da imigração, dor de cabeça, sono, por sorte conheci uma brasileira que estava indo para Roma e foi minha companheira durante as três horas de espera para o próximo voo. Finalmente depois de tanto atraso embarquei, a ansiedade era maior porque eu Vincenzo havíamos combinado de nos encontrarmos em Roma e voar juntos para Palermo (sua cidade).  Aeroporto ENOOOOORME! Fiquei rodando até encontrar meu portão de embarque, olhava para todos os rostos, os que estavam perto, os que estavam longe e nenhum sinal dele. Entrei no avião, angustiada, minha cabeça parecia um filme acelerado eu pensava em tudo ao mesmo tempo principalmente na frase “você é louca”. Fiquei na expectativa até que a porta foi fechada e a comissária anunciou a decolagem, putz!  Eu chorava sem parar, lembro-me de uma senhora que estava ao meu lado e me olhava desconfiada (risos) eu não conseguia decorar uma frase sequer em italiano pra me virar quando chegasse ao aeroporto. Cheguei a Palermo detonada, não tinha ânimo pra retocar a maquiagem, mal conseguia conduzir a mala. Estava me dirigindo ao portão de desembarque e lá estava a primeira pessoa diante de tantas outras, se fazendo visível: meu sogro! Respirei tão aliviada, eu o abraçava e chorava, então fiquei sabendo que Vincenzo estava em Roma pegando outro voo para retornar a Palermo. Eu era a esperada e acabei esperando-o.
Uma hora depois Vincenzo desembarcou, nossa, eu tremia de ansiedade. Olhei pra ele e pensei: ele é tão branquinho, ai meu Deus é menor do que eu pensei (risos), mas era tão lindo, um cheiro maravilhoso, foi um encontro lindo, a gente se olhava e era como se estivéssemos juntos a vida inteira. A família estava acordada a minha espera, todos tão encantadores, mas depois de tantas horas de voo e peregrinação pelos aeroportos eu só pensava em cair na cama e dormir uns dois dias direto.